O armazenamento de alimentos correto é fundamental para garantir segurança e preservar a qualidade nutricional da comida. Nesse sentido, a segurança alimentar e a imunidade estão intrinsecamente ligadas à forma como armazenamos, preparamos e consumimos os alimentos.

Boas práticas de armazenamento de alimentos garantem a alimentação segura e nutritiva, além de contribuir para a imunidade e bem-estar geral.

A intoxicação alimentar, por exemplo, pode ocorrer quando os alimentos são armazenados de forma inadequada, permitindo que bactérias, vírus ou toxinas se proliferem. 

Para prevenir a intoxicação alimentar causada por armazenamento incorreto dos alimentos, é importante seguir as práticas de segurança alimentar, como: manter os alimentos refrigerados adequadamente, evitar a contaminação cruzada, verificar regularmente a validade dos alimentos e manter a higiene pessoal e das superfícies de trabalho.


O armazenamento adequado dos alimentos também desempenha um papel importante na manutenção da imunidade, pois ajuda a prevenir a contaminação por patógenos que podem comprometer o sistema imunológico.

Em resumo, o armazenamento adequado dos alimentos desempenha um papel essencial na manutenção e fortalecimento da imunidade, garantindo a segurança e a qualidade dos alimentos consumidos.  

Impactos alimentares na imunidade e intoxicação alimentar

Lavar as mãos antes e após manusear alimentos, especialmente após usar o banheiro, lidar com lixo ou animais de estimação, utilizar tábuas de corte, preferencialmente de vidro separadas para alimentos crus e cozidos, e verificar sempre a data de validade dos alimentos, são ações que evitam contaminação e intoxicação alimentar. Além disso:

  • Manter uma dieta equilibrada rica em frutas, legumes, grãos integrais e proteínas magras, bem como consumir vitaminas e minerais, como: vitamina C, vitamina D, zinco e ferro, fortalece o sistema imunológico.
  • Lavar bem os alimentos crus, como: frutas e vegetais, ajuda a remover qualquer sujeira ou resíduos.
  • Cozinhar alimentos é uma medida que mata bactérias, vírus e parasitas.
  • Evitar consumir alimentos crus ou mal cozidos, especialmente carne, aves, ovos e frutos-do-mar, também é indicado.


As implicações alimentares na imunidade são significativas. Uma dieta equilibrada e nutritiva desempenha um papel fundamental na manutenção de um sistema imunológico saudável. Os alimentos ricos em nutrientes como vitaminas (especialmente C, D e E), minerais (como zinco e selênio), e antioxidantes podem fortalecer as defesas do corpo contra infecções.

Por outro lado, uma dieta pobre, com alto teor de alimentos processados, açúcares refinados e gorduras saturadas, pode enfraquecer o sistema imunológico e aumentar o risco de infecções e doenças.

Quanto à intoxicação alimentar, ela ocorre quando alimentos contaminados são consumidos, geralmente por bactérias, vírus, parasitas ou toxinas produzidas por eles. Os sintomas podem variar de leves a graves e incluem náuseas, vômitos, diarreia, cólicas abdominais e febre. A prevenção da intoxicação alimentar envolve práticas adequadas de manipulação, preparação e armazenamento de alimentos, bem como a seleção de alimentos frescos e seguros.

Em resumo, a escolha de uma dieta saudável e segura desempenha um papel crucial na promoção da imunidade e na prevenção de intoxicações alimentares.

Veja a seguir dicas para fazer o armazenamento de alimentos de maneira segura

Usar recipientes hermeticamente fechados para armazenar alimentos é a maneira mais segura de guardá-los, pois evita contaminação cruzada. Nesse sentido, o pote de vidro é o mais indicado. Não descongelar os alimentos à temperatura ambiente também é uma ação recomendada. Ou seja, colocar na geladeira um dia antes ou, por tempo suficiente para descongelar é a maneira adequada para descongelar.

Usar recipientes hermeticamente fechados para armazenar alimentos é a maneira mais segura de guardá-los, pois evita contaminação cruzada. Nesse sentido, o pote de vidro é o mais indicado. Não descongelar os alimentos à temperatura ambiente também é uma ação recomendada. Ou seja, colocar na geladeira um dia antes ou, por tempo suficiente para descongelar é a maneira adequada para descongelar.

Manter os alimentos perecíveis refrigerados e não misturar crus com cozidos na hora de guardar, também faz parte das boas práticas para garantir segurança alimentar.

Organizando os alimentos na geladeira

Uma geladeira cheia, para muitos, é sinônimo de fartura, mas na realidade pode atrapalhar a conservação ideal dos alimentos, uma vez que dificulta que o ar frio circule com facilidade.

As geladeiras com regulagem de temperatura devem ser usadas à medida que estão mais cheias ou com menos alimentos. Mas atenção, superlotar nunca é uma boa opção.

Gaveta superior – iogurtes, frios, maionese, patês.
Prateleira 1 – ovos, requeijão, manteiga, margarina, geleias.
Prateleira 2 – guarde as sobras de alimentos cozidos.
Prateleira 3 – guarde as sobras de alimentos cozidos.
Prateleira 4 – carnes e peixes crus ou em processo de descongelamento.
Gaveta – frutas e legumes frescos.
Porta – bebidas lácteas, vidros de conservas, condimentos e temperos, sucos, água e outras bebidas.

Para conservar legumes e temperos picados por mais tempo é preciso lavar e secar bem cada legume antes de colocá-los na geladeira.

Em resumo, o armazenamento adequado dos alimentos é essencial para manter a qualidade nutricional dos alimentos, prevenir a contaminação por patógenos e promover uma alimentação saudável. Tudo isso contribui para o fortalecimento da imunidade e a manutenção da saúde geral.

× Como podemos te ajudar?